quinta-feira, 19 de julho de 2018

Um caminho feito de palavras

Se alguma expressão pudesse sintetizar o caminho percorrido no âmbito da componente formativa do Programa de Educação Literária na Família, ao longo do ano letivo que agora termina, seria 
A força das Palavras


Privilegiamos essencialmente álbuns de autores, ilustradores e editores portugueses. Continuamos a estudar autores já nossos conhecidos, como João Manuel Ribeiro, Álvaro Magalhães, Alice Vieira e Isabel Minhós Martins, e introduzimos mais alguns no "cardápio" de leituras: Francisco Duarte Mangas, Manuel Alegre e Sidónio Muralha. Juntamos dois autores estrangeiros, Roald Dahl e Leo Lionni. 
E foi com este "menu" de leituras que percorremos um caminho de palavras:

     Palavras que se transformavam em jogos
     Palavras que chamavam outras vozes
     Palavras que se vendiam numa Palavraria
     Palavras que carregavam magia
     Palavras que transportavam memórias
     Palavras que geravam novas palavras

Alguma palavras fizeram rir, algumas fizeram chorar, outras fizeram dormir, e todas fizeram sonhar.
(Algumas ficaram a morar na mesa das famílias que as acolheram) 

Mais um ano de leituras, mais um caminho... este feito de palavras.

segunda-feira, 9 de julho de 2018

Vamos de férias e levamos livros para LER em FAMÍLIA

Estes pequenos leitores estão a crescer...
E estas férias de verão levam um desafio diferente...


Convidamos as famílias a (re)visitar o poemário e a apetrechá-lo com a ajuda de Álvaro Magalhães.


Desafiamos os pais para ler a pares com os seus filhos. Este texto de Alice Vieira, de maior extensão, vai iniciar estas famílias nesta modalidade de leitura.


E uma novidade na nossa abordagem:
Cada família levou uma obra diferente, com a incumbência de a apresentar ao grupo, no final das férias, através de "marketing" familiar.



Passo a passo, quilómetro a quilómetro, página a página, tira a tira... este livro irá, certamente, dar origem a leituras movimentadas. Mais informações sobre esta obra AQUI.


Um clássico e um poema que é também um hino à infância e à PAZ.


E, com uma "sugestiva" porta de entrada, esta obra, vencedora do Prémio BD Amadora 2016, promete interessantes conversas de família. Mais informações sobre esta obra AQUI.

Aguardamos, ansiosamente, a partilha destas viagens literárias!!

A TODOS, Boas Férias e Boas Leituras!

segunda-feira, 2 de julho de 2018

Quando dos livros nascem jogos de família

A Maior Casa do Mundo de Leo Lionni deu origem a um belíssimo JOGO da MEMÓRIA construído com a colaboração de família e amigos.
Tudo começou pela leitura da história do Caracolinho que queria ter a Maior Casa do Mundo e da questão que este texto deixou no ar

"Qual é para mim, a Maior Casa do Mundo?"
A questão foi lançada a familiares e amigos, e as respostas não se fizeram tardar. As respostas foram agrupadas de acordo com os "locais" evocados, e assim nasceu um interessante Jogo da Memória que promete preencher muitas tardes de verão.




Uma interessante ideia para "copiar". A família Machado Domingues autoriza.
Obrigada, Maria José, por mais uma fabulosa partilha.

segunda-feira, 25 de junho de 2018

Programa ELF distinguido com o selo Escola Amiga da Criança

O Programa Educação Literária na Família (ELF), iniciado em 2015/2016 na Escola Básica de Ponte de Lima, foi distinguido com o Selo Escola Amiga da Criança na categoria Envolvimento da Família e Comunidade Educativa. Esta distinção é uma iniciativa da CONFAP e visa “distinguir Escolas Amigas da Criança, com ideias extraordinárias que contribuam para melhorarem as suas condições de funcionamento e para construírem uma escola melhor e mais amiga da criança”.


Mais informações em Leya Educação



Esta distinção é para nós motivo de orgulho, mas sobretudo de responsabilidade.
Prometemos continuar esta missão de formar leitores livres e felizes, ainda com mais dedicação!
OBRIGADA A TODOS!

segunda-feira, 4 de junho de 2018

ELF 3: Palavras para todos os gostos (sessão 3)

Um trio bem português compõe as sugestões de leitura de junho. 
E há palavras para todos os gostos...


Há palavras dispostas num alfabeto que promete muitas "bocas abertas". 
Um novo encontro com Isabel Minhós Martins e Yara Kono.


Há palavras de gato - que moram no "caderninho de capas de fogo".
Continuamos a conversa com Francisco Duarte Mangas e convocamos Manuela Bacelar.


E há palavras que quebram feitiços e, emolduradas por belíssimas ilustrações, polvilham de magia o imaginário dos pequenos leitores.
Um encontro com Manuel Alegre e um reencontro com Danuta.

segunda-feira, 23 de abril de 2018

ELF 3: Abrir uma palavraria? Sim! Na maior casa do mundo! (sessão 2)

O mês do livro pede palavras... e é pela mão de Karl, um gato muito especial que vamos conhecer o poder transformador das palavras, sobretudo daquelas que foram polidas com um "paninho de ternura"...


É também um bom momento para aguçar o nosso olhar para o BELO, e é um caracolinho muito especial que nos vai ensinar a importância do desapego, e o valor das pequenas coisas... mesmo quando essas coisas são a "nossa casa"...



Boas leituras e... até breve!


sexta-feira, 20 de abril de 2018

ELF 3: Leituras que abrem CAMINHOS (partilha)

Uma sessão de coração cheio!
Os Pais avaliaram a experiência da dinamização do Programa ELF por pares, e o balanço é MUITO POSITIVO. "Quanto mais (nos) damos, mais "ricos" ficamos". É, pois, para CONTINUAR!!

E porque para continuar a ler (e a dar a ler) é preciso conhecer, o "núcleo duro" ELF partilhou as suas experiências de leitura em torno do trio literário que partilhamos AQUI.

A leitura de Meu Avô Rei de Coisa Pouca revestiu-se de especial sentido depois de conhecer o seu autor (que apadrinha este projeto, como revelamos AQUI, e demos conta AQUI), tendo despertado até vontade de "fazer algo semelhante". Não resistimos, pois, a partilhar a ideia, até porque pode inspirar outras famílias e constituir um excelente motivo para conhecer histórias e construir memórias:

"Fiquei com uma vontade enorme de voltar à casa do meu avô, que ainda se mantém como a recordo da infância, e fotografar cada canto e cada objeto. Levarei comigo as minhas filhas para lhes poder contar, no local, os episódios que recordo vividos naquela casa (e são tantos feitiços!). Depois faremos um álbum, em conjunto, onde cada fotografia contará uma história e constituirá uma memória." (MJM)


As charadas da Alice Vieira deram o toque de humor às leituras em família e converteram-se num interessante jogo para fazer nas viagens de automóvel... Prontos para adivinhar esta?


Já Roald Dahl levou as nossas crianças a regressar aos seus "primeiros contos", pois estava na hora de os dar a conhecer aos irmãos mais novos...